quarta-feira, outubro 22, 2008

Tudo se ilumina - Jonathan Safran Foer

"O fim do mundo tem chegado com freqüência, e continua a chegar com freqüência. Inclemente, incansável, trazendo escuridão após escuridão, o fim do mundo é algo com o qual já nos tornamos bastante familiarizados. Já o transformamos num hábito e num ritual. Nossa religião manda que tentemos esquecê-lo em sua ausência, aceitá-lo quando não puder ser negado, e devolver seu abraço quando finalmente chega para nós, como sempre faz."

"São esses os meus fantasmas, os espaços entre o amor".

Nenhum comentário: