terça-feira, setembro 23, 2008

What's the movie?

Post para o Ale Manoel. E para perder horas a fio.

segunda-feira, setembro 22, 2008

Descobrindo Jorge Drexler



El velo semitransparente
del desasosiego
un día se vino a instalar
entre el mundo y mis ojos.
Yo estaba empeñado en no ver
lo que vi, pero a veces
la vida es más compleja
de lo que parece.

Pensaste que me iba a quebrar
y subiste tu apuesta,
me hiciste sentir el sabor
de mi propia cocina.
Volví a creer que se tiene
lo que se merece,
la vida es más compleja
de lo que parece.

Todas las versiones
encuentran sitio en mi mesa,
Todas mis canciones
por una sola certeza.

No quiero que lleves de mi
nada que no te marque.
El tiempo dirá si al final
nos valió lo dolido.
Perderme, por lo que yo ví
te rejuvenece,
la vida es más compleja
de lo que parece.

Mejor, o peor, cada cual
seguirá su camino...
Cuánto te quise, quizás,
seguirás sin saberlo.
Lo que dolería por siempre,
ya se desvanece,
la vida es más compleja
de lo que parece.

sexta-feira, setembro 19, 2008

Andanças: Sr. Palito

Pulando por aí, achei isso.

"Julho 8, 2008

Fez as malas ainda que não fosse movê-las. Deixou-as no hall de entrada, encostadas, despercebidas. Um dia, sairia de fato e aí sim, as malas teriam servido. Ou um dia entraria de fato na casa e, assim, as traria junto. As malas continham as roupas e os objetos triviais, nada mais.

Todo o resto, não tinha a opção de empacotar. Levava na memória as fotos que rasgara, os sons que apagara, as lembranças ruins tanto quanto as boas. Levava todos os laços que (vez ou outra podia se ver nitidamente) eram parecidos demais com torniquetes."

"Os opostos deles mesmos.

Quando estavam juntos, não havia o que conjecturar. Simplesmente estavam juntos. Era quando diziam a verdade um para o outro, era quando ele beijava o antebraço dela com a boca e não com o que se passava pela sua cabeça.

E, quando estavam juntos, aquelas palavras que trocavam e aqueles gestos que mediam iam preenchendo um espaço vago. Em camadas, iam se acumulando naquela gaveta vazia em que eles mantinham nos pensamentos. Naquela pequena vala que capinaram entre um desejo e outro. Naquele copo seco e cheio de pó, esquecido na cristaleira repleta de espaço.

Mas para cada um dos dois, havia também o oposto de cada um deles. E assim que ele saia pela porta, o seu oposto entrava no mesmo instante. E, sem dizer absolutamente nada e sem um gesto sequer, retirava, uma por uma, as frases e os trejeitos que haviam sido postos naquela gaveta, naquela vala, naquele copo.

Com sua boca invisível, o oposto dele beijava o antebraço dela. E tirava dela tudo que havia sido enquanto estavam juntos. Ali, naquela hora, sobravam as incertezas e o espaço crescente, pouco a pouco, preenchido pela falta.

Gavetas cheias de nada."

Lindo, lindo. Favoritei na hora, mesmo que fizesse mais sentido estar linkado e citado no My Country. Adorei.

Obs.: Sr. Palito, por favor, não se assuste com esta freak que passou a tarde lendo seus arquivos.

quinta-feira, setembro 18, 2008

Tão piada interna que só eu entendo e acho graça

Atrasado, seja dito, mas como a letra é de um povo que desconsidero no cenário musical (jota quem?), segue para meu próprio deleite:

Ah Isso aqui tá muito bom
Ah Isso aqui tá bom demais
Mais que nervoso estou
Sou neurastênico
Preciso me casar (n.da a.: mas hein?)
Se não eu vou pra Jacarepaguá
E Jacarepaguá é longe pra caramba
Jacarepaguá só se eu tiver de carro
Jacarepaguá só se eu tiver na Barra
Se não não vou nem se amarrado

Enfim: Jacarepaguá é longe pra caramba...



Já as portas que essas aqui abrem são bem perto: my own private 1104 ;)

Update:
Mais piadas que só eu acho graça, agradeçam ao Rafael:
- Só falta minha rua se chamar "Coqueiros";
- O Bira tem um sistema legal de controle de gastos que não precisa nem trocar o nome.

segunda-feira, setembro 15, 2008

O blog de Saramago

"Fisicamente, habitamos um espaço, mas, sentimentalmente, somos habitados por uma memória. Memória que é a de um espaço e de um tempo, memória no interior da qual vivemos, como uma ilha entre dois mares: um que dizemos passado, outro que dizemos futuro. Podemos navegar no mar do passado próximo graças à memória pessoal que conservou a lembrança das suas rotas, mas para navegar no mar do passado remoto teremos de usar as memórias que o tempo acumulou, as memórias de um espaço continuamente transformado, tão fugidio como o próprio tempo. Esse filme de Lisboa, comprimindo o tempo e expandindo o espaço, seria a memória perfeita da cidade.

O que sabemos dos lugares é coincidirmos com eles durante um certo tempo no espaço que são. O lugar estava ali, a pessoa apareceu, depois a pessoa partiu, o lugar continuou, o lugar tinha feito a pessoa, a pessoa havia transformado o lugar."

Por isso amo Saramago, independente da linguagem dele combinar com blog. Eu acho que combina. Mais em O Caderno de Saramago. E eu, morrendo de vontade de ver Blindness, mesmo que a crítica tenha martelado horrores. Assim é bom, minhas expectativas caem.

sexta-feira, setembro 12, 2008

Vendo

Olá dezoito pessoas que lêem este blog com regularidade, se algum de vocês não recebeu meu e-mail spam, aqui vai um anúncio:

estou me desfazendo de pelo menos 60% da minha coleção de CD's. Se vocês se interessarem por algum, dêem um alou. Tem de tudo, do piso ao teto, de Adriana Calcanhoto a Zeca Baleiro, de Bee Gees a Village People - sem brincadeira nem gozação - passando até por mares nunca antes navegados. Se estiver interessado, peça a lista que envio por e-mail.

Os preços são os seguintes:
R$ 8,00 o cd simples
R$ 12,00 o cd duplo
O dobro se for importado - eu trouxe alguns de Paris.

Se nessa lista tiver algum que você me deu, não fique triste. Estou tentando TER menos coisas, é por uma boa causa. Já tá tudo devidamente arquivado em MP3. Se algo interessar, avise logo (por email, por telefone). O primeiro que pedir, leva.
Corra, é só enquanto durar o estoque!

*Este post é patrocinado por mim mesma, por enquanto.

segunda-feira, setembro 08, 2008

Desejo da semana


Bubble calendar :)
Ainda tem nas versões horizontal e vertical e é entregue no mundo todo!

domingo, setembro 07, 2008

Nas últimas semanas

Como disse em posts anteriores, fui domingo passado ao Atlético (PR) x Palmeiras. Foi mais uma experiência sócio-antropológica do que por torcida, afinal, mesmo quando meu time está bem eu prefiro me manter isenta e dizer que não torço pra ninguém. Fui para rever a Antônia, atleticana e amiga que escreveu o livro "Dez torcedoras e uma fanática" este ano, sobre mulheres que torcem para o Atlético.

Foi divertido, ouvir uma torcida inteira em uníssono é impressionante (e emocionante), continuo gostando muito de ir a estádios, mas definitivamente, assistir torcendo é bem diferente. Torcer para um time dessa maneira é como ter fé para mim. Invejo quem tem, queria ter também, queria sentir essas coisas. Não sinto, fica só na técnica. Não dá o mesmo gosto de xingar o juiz.
Para finalizar, o Atlético perdeu :S Achei que depois dessa primeira ida pé frio ao Caldeirão a Antonia nunca mais me convidaria. Tomara que não.

********
Balas Willie Wonka. Embalagens lindas e criativas, nomes estranhos, preços absurdos. Não tenho muito o que falar - não tive ainda coragem de abrir a minha de morango, mas, hei, nerds??? Why???

BTW, The Big Bang Theory e Heroes (se é que alguém está interessado em Heroes ainda) estréiam nova temporada dia 22. =D
****************

Atrasado: presentes que o Ale trouxa de viagem. Chocolate russo e perfume francês.

quinta-feira, setembro 04, 2008

Oi, tô trabalhando, viu

Mas isso aqui é um dos posts mais legais do universo pra serem lidos na hora da Sessão da Tarde em dia de sol: 80 lições dos filmes dos anos 80. Ah, somente para maiores de 30. Senão ninguém acha graça ;)

Mil e nenhuma coisas

Eu tenho umas dez coisas para postar, como a experiência antropológica de ter ido ao jogo do Atlético no último domingo, as balas Willie Wonka Nerds que eu comprei hoje de manhã (ou melhor, ganhei da minha mãe) e ainda uma meia dúzia de fotos imperdíveis e uma vontade enorme de escrever (nada como dias ensolarados em minha vida). Mas não dá tempo, sorry, quem sabe no feriado?

Só que isso aqui, que eu vi hoje, (A TRABALHO diga-se de passagem, porque algumas vezes meu trabalho exige que eu vá fazer orçamentos na Tok Stok)... Isso é a minha cara, eu TENHO de ter. Pra minha casa nova. Pra minha casa velha. Whatever. Isso eu TENHO de ter!!!!
Uma bandeja com almofadinha embaixo, pra comer assistindo seriadinhos!!!!
Alguém me dá de presente?
Alguém me dá um freela pra eu pagar esse capricho? Unzinho só, vai? ;)

segunda-feira, setembro 01, 2008

Pela paz mundial


E eu aqui, entre uma reunião e outra, fingindo que tenho tempo e chorando de rir =)