sábado, maio 31, 2008

My Blueberry Nights

Mais do que a história de Jeremy (Jude Law <3) e Lizzie (Norah Jones), o que me pegou mesmo em My Blueberry Nights (Wong Kar Wai, 2007) foi o amor impossível, doentio, venenoso e sufocante entre Arnie (David Strathairn) e Sue Lynne (Rachel Weisz, linda de morrer, as usual).

Arnie se embebeda todas as noites no mesmo balcão de bar por conta da mulher que não o quer - ou que não consegue amá-lo como ele precisa. Em determinado momento, Lizzie, a garçonete que o atende, pergunta:
- Por que você não tenta parar?
E ele saca do bolso um punhado de fichas, uma para cada vez que tentou. Derrama no balcão. Umas por uma semana, outras um pouco mais. Seu recorde? Um roxa: 90 dias.

O diálogo não precisava continuar, ao menos para mim. Absolutamente não é sobre bebida que eles estão falando, mas de um vício de outro gênero, de uma impossibilidade de outra natureza. De deixar de amar alguém, deixar alguém ir. de livrar-se do vício de querer a pessoa errada.

:`(
O vizinho me emprestou um lenço.

Procurei essa cena para postar aqui, mas não a encontrei. Encontrei a segunda que gostei mais, que dá nome ao filme. Em tempo: Norah Jones engana bem como atriz, e tirando as músicas dela, a trilha é fantástica. Basta dizer que a cena que descrevi é embalada por Try a Little Tenderness. Ai.

quinta-feira, maio 29, 2008

Best Visual Illusion of the Year Contest


Sabia que existe um concurso de melhor ilusão de ótica? Pois é. Acontece no Philharmonic Center for the Arts, na Flórida (EUA), e já está na quinta edição. Wanna play?

P.S.: Acima, o segundo prêmio. Esse e outros posts meus você pode ver em www.ideafixa.com - o blog da revista da Alicia Ayala e da Janara Lopes do qual eu, com muito orgulho, participo junto com mais um povo supimpa (hohoh oi, fiz 32 anteontem) :) Trabalho do bom. Apareça.

Não é um teste

É muito nerd, eu sei, mas é muito bom pra deixar escapar.
Direto do Lifehacker: Os sete tipos de piores chefes de acordo com Star Trek - e como sobreviver a eles. Eu me enquadrei na hora encontrando qual sou eu e qual é meu chefe.
Mas e aí, em qual sua situação se enquadra?

quarta-feira, maio 28, 2008

Postando imagens de qualquer tamanho

David, isso é pra você :). Clicaê:



***
E como eu já havia postado o msn do Desmond, de Lost, o Matias também mandou o do Hiro, de Heroes...

Window in the Skyes

Um dos melhores late gifts desse cumpleaños:


Ju, essa não é a versão que aparece o Sinatra porque aquela não podia "incorporar" ;)

The shackles are undone
The bullets quit the gun
The heat thats in the sun
Will keep us when there's none

The rule has been disproved
The stone has been moved
The grain is now a groove
All debts are removed

Oh can't you see what our love has done
What it's doing to me

Love makes strange enemies
Makes love when love may please
Soul in a strip tease
Hate brought to its knees

Sky over our head
Can reach it from our bed
If you let me in your heart
And out of my head

Oh can't you see what our love has done
What it's doing to me

Please don't ever let me out of here
I've got no shame

Oh can't you see what love has done
Oh can't you see
What it's doing to me

Oh I know I hurt you and I made you cry
Did everything but murder but you and I
But love left a window in the skies
And to love I rhapsodize

Oh can't you see what love has done to every broken heart
Oh can't you see what love has done for every heart that cries
Love left a window in the skies
And to love I rhapsodize

Oh can't you see

segunda-feira, maio 26, 2008

Enquanto isso...

Saramago assistiu Blindness ao lado do Fernando Meirelles. Não disse nem sim nem não, mas ficou feliz, e a cena é bonita, bonita. Apesar de todas as críticas negativas, só me faz esperar mais pelo filme.

***

"Life is a constant journey of repairs. If it’s not your car, it’s your roof. If it’s not your house, it’s your heart." (Alison Goldfrapp)

Pensei nisso o dia todo.
Lasquei o esmalte indo para o trabalho.
Preciso pegar o outro notebook no conserto.
Preciso conseguir sentar para escrever no Q10 toda vez que me dá vontade e me sinto particularmente inspirada.
(Roubei a citação do cara das coletâneas legais).
***

Did I say that I love him?
Uma década since he's gone. Alguém aí tem uma biografia do cara que eu não tenha lido? Please send me :)


Ou even better than the real thing, <3 ele <3 apresentando The Voice no Grammy Awards 1994, em um texto obviamente de próprio punho delatando seu estilo único em cada linha, contando porque o rock respeita Sinatra, sobretudo por sua atitude troublemaker mais rock and roll ever.

domingo, maio 18, 2008

Some pictures has to be shown

Eu tenho um álbum no Picasa. Sei que ele não é tão bonitinho quanto o Flickr, mas ele cumpre bem a função quando preciso. Mas existem algumas fotos avulsas no mundo das quais eu realmente gosto e quero exibir. E vou fazer isso aqui. Algumas terão legendas, algumas não. Algumas querem dizer algo. Outras não. It's up to you.


Testa gigante. A gente realmente estava se divertindo. Festa de lançamento de alguma edição da Curitiba Deluxe, no Kitinete, em Curitiba.
***
So, are you going to stay here? Eu estou indo viajar.

Post My Secrets



***
Alguém já descobriu a música fofa do novo comercial do Mercado Livre? Me manda?

Andanças do fim de semana parte...


O inverno dá as caras e uma vez mais pressinto que estarei outdated.
Sorry: adoro minha cintura. Essa moda de vestidinhos "minto-que-estou-grávida-para-reaver-meu-ex", essas blusinhas e casaquinhos evasê? Definitivamente estou fora. Quando eram só as batinhas ainda vai, mas isso? Ugh. Quem é magra, fica gorda. Quem não é... Well. capas de botijão de gás mode on. Fino.
E é isso ou colete, a roupa que eu menos entendo no mundo, a peça mais inútil de um guarda-roupas: não esquenta o corpo todo e só serve para enfeitar? :S

***
Maionese de leite Hellmanns: menos ácida que a normal e parecida com a caseira que meu pai faz. Less (fat) is more. Definitivamente aprovada :)

***
Eu não me desfaço das jóias que já ganhei de ex-namorados. Como as histórias nunca foram tristes, são alguns pedaços de ótimas lembranças. Tanto que as jóias que eu quero reformar não têm nada a ver com as tais, de estimação.
Porém, em busca de idéias para essas reformas, encontrei esse site fantástico.
São centenas de jóias - a maioria anéis, minha paixão - e mini-histórias de relacionamentos que não deram certo. "You can't use it. He can't have it back" é o slogan e nele você pode vender, trocar ou comprar peças que já foram de noivados que acabaram, casamentos que não deram certo ou presentes de ex que os atuais namorados não gostam de ver. Tem desde diamantes caríssimos até "presentes que deveriam ter sido jóias", como vestidos de noiva e bolsas de marca.
Os preços são bem acessíveis e algumas peças são lindíssimas, de dar água na boca. É muito melhor que assistir o leilão de jóias da madrugada na TV hahaha. Por ser um site bem particular, não aceitam cartão de crédito, nem sei como fazem com shipping abroad (afinal, é uma jóia indo pelo correio). Se você não se importa com superstições e é fã de brechós (as me), have fun.

Ah, e se você amigo leitor mora fora ou está em viagem, eu não me incomodaria at all de receber esse aqui, justo do meu tamanho! =P

***
Novo RSS favorito: Ordinary Comics. Você vai ver bastante por aqui.

segunda-feira, maio 05, 2008

Chorando de rir

Uma imagem vale mais.

domingo, maio 04, 2008

What a feeling

Esses dias me disseram que eu pareço ela. Não fisicamente, mas a Alex, do filme.


Passei quase 25 anos da minha vida desejando secretamente que alguém achasse isso.
Acho que vou começar a usar polainas :D

P.S.: Ivan, chancela aí ou vão dizer que tô me achando! :)

Capitulando: retiro o que disse sobre Eli Stone

Medindo minhas palavras sobre Eli Stone num dia menos mau humorado: a série é bem bonitinha e o último capítulo é realmente emocionante :~)


Medindo minhas palavras sobre Eli Stone num dia menos mau humorado: a série é bem bonitinha e o último capítulo é realmente emocionante :~)
***

É engraçado observar quando finalmente escolhem a trilha sonora para uma novela ou, nesse caso, para um seriado, principamente quando a premissa dele é sobre visões com George Michael e musicais. É um fato bem curioso e já pensei em várias teorias a respeito. Um dia, em um episódio qualquer lá pelo quinto - ou na terceira semana das novelas, ao menos em um tempo em que eu chegava a saber o nome de alguns personagens - as músicas incidentais que eram quase acidentais e imperceptíveis, começam a ser substituídas. E dificilmente é aos poucos.

Não cheguei ainda a concluir se as melhores acontecem quando essa substitução é sutil ou se é melhor quando elas nos assaltam os ouvidos de repente. Subitamente, têm uma música para cada cena. Um terceiro elemento , um novo personagem ao qual você tem de se acostumar, familiarizar.

No caso de Eli Stone, só me provoca estranhamento. É mais estranho associá-lo às bandas moderninhas e melódicas (oi Starsailor) que estão sendo infiltradas do que aos musicais absurdos e bem produzidos das visões que ele tem. Já diria minha avó: não orna.

Sobretudo, não se deixe enganar pelo nome dos episódios - todos música de George Michael, mas não necessariamente tem a ver. Tem umas irreconhecíveis e outras que só fazem referência no nome, mesmo. What the hell: o cara patrocinou o seriado? =P
***

As atuações são muito boas. O estranho é ser nerd o suficiente para reconhecer personagens secundários e até extras que foram de outros seriados. Antigos. Even worst: alguns que só reconheceram uma mísera temporada.
- Patti (secretária de Eli) é a ex esposa do chief em Grey's Anatomy; fico o tempo todo me perguntando se ela deixou o chief pra virar isso.
- Jordan (CEO da empresa de Eli) era chefe também de um outro escritório de Direito naquele outro seriado de advogados sem ética nenhuma, cuja missão era vencer o caso no matters what, que agora não lembro o nome (update: Justice). Ah, e de Alias também.
- O sócio administrativo dele? Fácil: o médico pai da Amy em Everwood (update: Harrold Abbot).
- O pai de Eli fez aquele outro seriadinho romântico da Sony que deve ter durado uma só temporada, ele vivia com uma bola de futebol americano nas mãos e lágrimas nos olhos, fazendo o sensível (update: Love Monkey).
- O cara que prevê o terremoto na TV? The Niners - mas esse é extra em todos os seriados, what a loser.
- E o coitado do Ecklie, de CSI, que fez ponta na quarta temporada de Lost e também aparece em caso do Eli? Cada hora com um cabelo diferente.
- O irmão? Alguém lembra de um seriado chamado Good Morning, Miami? Caramba, não envelhecem nunca.

Nerd o caramba. Lembro os personagens, mas não os nomes, ao menos não sem ajuda do IMDB.
***

Se Direito no Brasil fosse mais parecido com o dos EUA, eu poderia virar advogada fácil de tanto Law & Order, filme de tribunal, Eli Stone e o caramba. Eu poderia ter trabalhando na defesa de O. J. Simpson. Mais que "parem as máquinas", eu queria mesmo era falar "protesto, meretíssimo" e ouvir "sustained" rs. Pensando bem, se eu vivesse lá talvez quisesse ser advogada. Aqui ia defender quem? Ronaldo dos travecos? Fala sério.
***



O episódio em que aparece George Michael é o MAIS legal, porque coloca personagens que não esperávamos em situações atípicas. Funny. E lembrar que George Michael já esteve na minha lista de cantores preferidos. =P Mas o último é realmente o maaaaaaais legal e emocionante. Vai ali, já tá passando.
***


Jonny Lee Miller, né? Ai :)

quinta-feira, maio 01, 2008

Tudo o que eu preciso

Pense neohippie chic. Simples, clean, pequeno. Minimalista. Pense Le Corbusier. Quase como viver num trailler na época dos Jetsons. Conheça o conceito alemão do Loft Cube.


Os loft cubes foram criados pelo Studio Aisslinger para serem exatamente isso. Uma espécie de domicílio temporário de 40 m2 que também funciona como interferência na arquitetura quadrada dos tetos de Berlim.


É possível customizar cores e detalhes e a entrega - que pode ser de helicóptero - leva somente de dois a quatro dias. Eu só abriria mão dos quatro lados de vidro e iria precisar de armários maiores e umas paredes (banheiro sem parede não dá), mas viveria num desses tranqüilamente.

Ah. Os preços variam de 63,5 mil libras no Reino Unido a 180 mil dólares nos EUA (com opções em euros por toda Europa e podendo excluir banheiro e cozinha aos que desejarem algo como "uma casa na árvore" mais hype).