sexta-feira, agosto 31, 2007

Cultura Simpsons

Esse é um post óbvio.

Ainda que achincalhem metade do universo (afinal, nem os aliens não são poupados) Simpsons são cheios de referências e tal: filmes, fatos reais, atualidades, música, moda. O blog Diversità tem sempre várias coisas sobre o desenho de Matt Groening, mas uma que eu mais gostei foi essa lista de referências mais claras à cenas de filmes.

quinta-feira, agosto 30, 2007

Trying to throw my arms around the world

A música da semana na cena que eu gostaria de ter protagonizado um dia. A banda do meu coração na turnê que eu mais queria ter visto. (Mas convenhamos, quem vai vestida assim a um show?). Whatever. Love it and hope you enjoy just the same.

Nothing much to say, I guess
Just the same as all the rest
I've been trying to throw these arms around the world
And a woman needs a man
Like a fish needs a bicicle
When you trying to throw your arma around the world

quarta-feira, agosto 29, 2007

Aniversários literários

Esse ano a literatura tem alguns aniversários de peso, como os 40 anos de Cem Anos de Solidão, do Gabriel Garcia Marquez, e os 50 anos de On The Road, de Jack Kerouac. Pra comemorar com bom humor - mesmo porque não acho o On The Road assim tãaaaaao legal -, roubei do Update or Die essa imagem acima, que achei que fosse a capa mais engraçada do livro (cara, olha o título...). Mas aí a Ana Karina me mandou várias outras versões, dentre elas essa abaixo, que mata a pau...

terça-feira, agosto 28, 2007

Da série Pensamentos bestas

Eu tava aqui pensando... Ou será que li em outro lugar em não lembro? Anyway: se eu fosse o Elvis e tivesse vivo, jamais voltaria de vergonha de ter sido sogro do Michael Jackson...

segunda-feira, agosto 27, 2007

Como curar feridas com estilo

Tenho ânsia de escrever rápido, tenho ganas de realizar teus desejos enquanto tua mensagem brilha – ainda não respondida – toda vez que abro minha caixa postal. Como a me avisar, como um sinal de que existem coisas que preciso resolver e que meu mundo de adolescente de 13 anos começa a ruir. O que te dizer, o que te dizer? O que você quer ouvir?

Apreender as palavras na ordem certa, hasta dominar a idéia central na forma correta, provocando a identificação sem soar lugar comum. Captar a jóia entre os grãos de areia. Trabalhar na lapidação, no tom, na melodia; tentar evitar os estrangeirismos, texto pedante, sei que não te importas. Quisiera escribir como hablo, todavia falo muito rápido e não há tempo para correções.

Há anos não tenho tanta gana de escrever, há anos não atravesso noites calejando os dedos dessa forma, como quem compõe cartas em requintada caligrafia. Penso em palavras como flores, flechas, armas, perfume, meios; no caminho de casa trabalho a frase exata, durante o banho elaboro parágrafos inspirados para que cheguem a ti – aunque no sepas nada desse meu mundo inverossímil.

Existem mil histórias que quero te contar. Mas primeiro preciso sobreviver.

sexta-feira, agosto 24, 2007

Fotos com efeitos de filmes legais

Eu não fiz. Ainda porque tô com muito trabalho e também porque tenho preguiça. Mas eu quero, alguém se habilita? Hahaha Não vale ser essas pessoas que dizem que vão ilustrar o blog e nunca ilustram...

Copiei descaradamente daqui ó. Um site que eu adoro :)

Um mês para a volta de Heroes

Só para lembrar que dia 24 eles estão de volta.
E beber leite definitivamente não dá superpoderes. Ao menos não pra mim.

quarta-feira, agosto 22, 2007

Monty Phyton Killer Rabbit

Se você gosta de dar boas risadas nonsense, certamente conhece os ingleses do Monty Phyton, e se você não os conhece, certamente não sabe o que é dar boas risadas. A influência dos seis no universo da comédia já chegou a ser comparada à dos Beatles no mundo da música. É fácil encontrar nas locadoras os filmes mais famosos: Monty Phyton e o Sentido da Vida, A Vida de Brian e Monty Phyton e o Cálice Sagrado.

Passeando no Think Geek, encontrei esses dois brinquedinhos que viraram meus objetos de desejo nerd...

Se você não entender, corra e veja o filme :)

*Ana: schwberries!

Impagáveis Homer quotes


Numa tentativa de salvar meu dia, o Ivan me mandou A Vida na Visão de Homer Simpson.
It totally works:

"As pessoas inventam estatísticas para provar qualquer coisa. 40% das pessoas sabem disso."
(Homer, o Vigilante)

"Vejo que essa casa está desmoronando sem a minha presença, então essa é a nova ordem das coisas. Bart, você é o homem da casa. Lisa, estou promovendo você a menino. Maggie agora é a filha inteligente. A torradeira pode substituir a Maggie. E, Marge, você é uma consultora."
(Dias de Vinhos e Rosas)

"Desde quando educação me faz sentir mais inteligente? Toda vez que eu aprendo alguma coisa nova, alguma coisa velha é expulsa do meu cérebro. Lembra quando eu fiz aquele curso de vinhos e esqueci como dirigir?'[Resposta da Marge: ‘Mas isso é porque você ficou bêbado!’]
(Os Segredos de um Casamento Bem-Sucedido)

E a minha preferida:

‘Bem, o Sr. Burns pode ter todo o dinheiro do mundo, mas tem uma coisa que ele não pode comprar… Um dinossauro!’
(Cão de Morte)

TI's of the world, cuidado!


:D

terça-feira, agosto 21, 2007

A evolução segundo Milo Manara

Sigo com preguiça. Eu achava mesmo que agosto estava calmo demais. Saudades imensas da minha ex-sogra que me disse um dia: "a vida não acontece em capítulos". Meu meio de campo está bem agitado :)

Segue a evolução segundo Milo Manara, via Pedro Doria.

segunda-feira, agosto 20, 2007

Preguiça

Just don't expect too much from me these days. Estou entregue ao meu pecado mais mortal enquanto recebo sms e ligações de telefones estranhos. Enquanto isso e enquanto começo meu curso de francês (hello, Canada, hello Paris), você pode ficar ouvindo Le Mouv online. Isso, é claro, se você gostar de coisas indies e rock mais moderno.

quinta-feira, agosto 16, 2007

Happy Birthday Miss President

Nova coleção Melissa

A Melissa lançou nova coleção. Chama-se Bedtime Stories (começa bem, com nome de disco da Madonna!) e a campanha é uma releitura contemporânea e sexy dos clássicos infantis. Mais informações aqui.

A minha é essa aqui, ó:

quarta-feira, agosto 15, 2007

Eu, me, mim, comigo - Por Ticcia

Às vezes - muitas vezes -, quando eu não sei o que dizer, essa moça que nem me conhece e nunca me viu e que parece ter uma vida tão diferente da minha, vai lá e fala por mim. Ticcia, vou roubar seu post inteiro, ok? Com todos os seus créditos, sure.


Eu, me, mim, comigo.

E você quer o quê, afinal? O que quer da vida, dos dias, de tudo que lhe resta? Eu aqui quero ser feliz. Feliz na minha mais peculiar acepção de felicidade, diga-se. Quero superar algumas das minhas limitações e encontrar desculpas convincentes - para mim mesma - acerca das demais. Quero melhorar no que for possível e justificar a contento todo o resto, a bem da minha própria, exuberante e aberrante humanidade. Por que lá no fundo, meus amigos, não pretendamos nos enganar, o que a gente pode mudar em si é muito, muito pouco mesmo. O grande trabalho é amar desvairadamente quem nós realmente somos – incluindo aquelas limitações e monstruosidades para as quais vamos ter de achar ótimas e sólidas justificativas. Quero ser feliz, sim, e isso inclui amar e lutar pelo amor de quem eu amo com todas as armas, de todos os jeitos, por todos os meios, de todas as formas e não desistir até que, enfim, o amor desista de mim. Porque aí, claro, não tem jeito. Então quero a paz de ter tentado, sempre. Quero o sossego de concordar comigo mesma, de ser minha melhor aliada, de agir exata e inderrogavelmente da forma que eu quero agir, a despeito de convenção, esperado, recomendável, do que diz o manual, a bíblia, o código, a lei. Quero poder decepcionar os outros, ah sim, mas manter-me fiel a mim mesma e sincera sobretudo e com todos. Quero entender do que preciso, o que vem de dentro e quero a força para deixar o que quer que destoe pelo caminho. Quero poder dizer que não, quando é não que eu queria mesmo dizer, olhando nos olhos da contrariedade e mostrando acima de tudo coerência. E também quero poder mudar de idéia, de caminho, de rumo, de opinião, de sentimento, de vida, sem virar refém de qualquer precedente, com o compromisso único de ser feliz, doa a quem doer, porque suponho que sacrificar a felicidade pelo outro é a pior espécie de egoísmo: é entregar o pior de si.

segunda-feira, agosto 13, 2007

41 dias and counting...

Postsecret no You Tube



Boa semana a todos, full of hopes and great expectations.

sexta-feira, agosto 10, 2007

Estadão malhando blogs?

O Brainstorm #9 publicou hoje um post comentando a nova campanha publicitária do Estadão que, remando completamente contra a maré de tudo o que o jornalismo contemporâneo está fazendo, resolveu tentar botar o povo contra os blogs. Como jornalista e leitora de blogs, achei coerente opinar.

Atualmente, é de consenso que os blogs com conteúdo sério, que fazem pensar e informam além das notícias que a população vê no Jornal Nacional, passaram a ser fonte de valiosa informação e formadores de opinião. A publicidade não discorda e até tem se valido disso, mas o jornalismo discordar me surpreende. E decepciona.


Assim como nos EUA, onde blogs influenciam até eleições e prestam informações muitas vezes com mais eficiência, transparência e rapidez que os “meios oficiais” – basta lembrar do Katrina e de onde vieram algumas informações fundamentais para encontrar desabrigados – inúmeros blogs nacionais são escritos por gente pensante e atuante. A intelectualidade que se dá bem com a tecnologia usa o espaço para mostrar suas análises e opiniões e se responsabiliza por ela em seus próprios domínios.


Estas pessoas – não posso linkar todas aqui sob pena de esquecer muitos e deixar de fora outros que nem conheço – usam seu tempo, seu dinheiro e seu espaço para dividir o que sabem e o que querem discutir com todos. Comigo, com você. Lê quem quer, discute quem pode. Não contam com o apoio nem patrocínio de ninguém – que o diga o falecido e saudoso NoMínimo.


Não vou entrar no mérito da parcialidade. Quem busca notícias ou informações adicionais em um blog deve estar preparado para filtrar, analisar e até desconfiar se lhe parecer conveniente e coerente. Porém, sua participação como meio de comunicação tende a ser significativa e inegável a partir de agora. Imagino que a tendência seja que eles passem a ser incorporados pela mídia como aliados, não inimigos. A campanha do Estadão, se tem mesmo esse viés (“Por onde você tem clicado, hein?” – ela pergunta), é extremamente decepcionante e retrógrada.

*(atualização) Por isso, até segunda ordem, a partir de hoje:

E obrigada a quem me mandou o selo ;)

Update or Die rulez

Não bastassem os vários posts inteligentes e interessantes todos os dias, volta e meia o Update or Die me dá a oportunidade de me divertir de verdade. Esse me salvou a manhã, roubei sem dó. Divirtam-se vocês também!

quarta-feira, agosto 08, 2007

The Denver Syntax

Descoberta por mim ao acaso, no Stumble, a The Denver Syntax é uma espécie de revista com ficção, poemas, ensaios, arte e até música. Mas o que me encantou mesmo foram os desenhos.

terça-feira, agosto 07, 2007

Conheça Alexandro Dolina

Alejandro Dolina é um escritor surrealista aregentino (além de músico, cantor, locutor de programas de rádio...) que me foi apresentado pelo Matias Peruyera e por quem me apaixonei de imediato. Seu humor é fino, sua fantasia é genial e nem por todo riso do mundo ele nos deixa esquecer que sempre carregamos no canto do olho uma lágrima, como os Pierrots.

Podem ser encontrados na rede inúmeros MP3 de seus programas, mas seus livros nunca foram traduzidos para o português. Como o espanhol é simples de entender principalmente quando lido, abaixo segue um de meus textos favoritos.

Instrucciones para abrir el paquete de jabón Sunlight

1) Busque la flecha indicadora.

2) Presione con el dedo pulgar hasta que el cartón del envase ceda.

3) Disimule. Soy un joven escritor que no tiene otra ocasión que ésta de conectarse con las muchedumbres. Usted finja que sigue abriendo este estúpido paquete y yo le diré algunas verdades.

4) Los vendedores de elixir nos convidan todos los días a olvidar las penas y mantener jubiloso el ánimo. El Pensamiento Oficial del Mundo ha decidido que una persona alegre es preferible a una triste.

5) La medicina aconseja cosmovisiones optimistas por creerlas más saludables. Al parecer, la verdad perjudica la función hepática.

6) Viene gente. Siga la línea de puntos en la dirección indicada por la flecha.

7) Escuche bien porque tenemos poco tiempo: la tristeza es la única actitud posible que los compradores de este jabón pueden adoptar ante un universo que no se les acomoda. Toda alegría no es más que un olvido momentáneo de la tragedia esencial de la vida. Puede uno reírse del cuento de los supositorios, pero éste es apenas un descanso en el camino. Uno juega, retoza y refiere historias picarescas, solamente para no recordar que ha de morirse. Ese es el sentido original de la palabra diversión: apartar, desviar, llamar la atención hacia una cosa que no es la principal.

8) Conversar acerca de estos asuntos es considerado de la peor educación. Los comerciantes se escandalizan, las personas optimistas huyen despavoridas , los maximalistas declaran que la angustia ante la muerte es un entretenimiento burgués y los escritores comprometidos gritan que la preocupación metafísica es literatura de evasión. Al respecto, mientras le recomiendo que no deje el paquete de jabón al alcance de los niños, le juro que todo lo que se escribe es de evasión, menos la metafísica: las noticias políticas, los libros de sociología, los horarios del ferrocarril, los estudios sobre las reservas de petróleo, no hacen más que apartarnos del tema central, que es la muerte.

9) Calcule 100 gr. de jabón por cada kilo de ropa sucia.

10) Cuánto más inteligente, profunda y sensible es una persona, más probabilidades tiene de cruzarse con la tristeza. Por eso, las exhortaciones a la alegría suelen proponer la interrupción del pensamiento: "es mejor no pensar...". Casi todos los aparatos y artificios que el hombre ha inventado para producir alegría suspenden toda reflexión: la pirotecnia, la música bailable, las cantinas de la Boca, el metegol, los concursos de la televisión, las kermeses.

11) Separe la ropa blanca de la ropa de color. Y entienda que la tristeza tiene más fuerza que la alegría: un hombre recibe dos noticias, una buena y una mala. Supongamos que ha acertado en la quiniela y que ha muerto su hermana. Si el hombre no es un canalla, prevalecerá la tristeza. El premio no lo consolará de la desgracia. Byron decía que el recuerdo de una dicha pasada es triste, mientras que el recuerdo de un pesar sigue siendo pesaroso.

12) No mezcle este jabón con otros productos y no haga caso de los sofistas risueños. Tarde o temprano alguien le dirá: "Si un problema tiene solución, no vale la pena preocuparse. Y si no la tiene, ¿qué se gana con la preocupación?". Confunde esta gente las arduas cuestiones de la vida con las palabras cruzadas. La soledad, la angustia, el desencuentro y la injusticia no son problemas sino tragedias, y no es que uno se preocupe sino que se desespera.
Lloraba Solón la muerte de su hijo.
Un amigo se acerca y le dice:
-¿Por qué lloras, si sabes que es inútil?
-Por eso - contestó Solón - porque sé que es inútil.

13) No está tan mal ser triste, señora. El que se entristece se humilla, se rebaja, abandona el orgullo. Quien está triste se ensimisma, piensa. La tristeza es hija y madre de la meditación. Participe del concurso "Vacaciones Sunlight" enviendo este cupón por correo.

14) Ahora que se fue el jabonero, aprovecharé para confesarle que suelo elegir a mis amigos entre la gente triste. Y no vaya a creer el ama de casa Sunlight que nuestras reuniones consisten en charlas lacrimógenas. Nada de eso: concurrimos a bailongos atorrantes, amanecemos en lugares desconocidos, cantamos canciones puercas, nos enamoramos de mujeres desvergonzadas que revolean el escote y hacemos sonar los timbres de las casas para luego darnos a la fuga. Los muchachos tristes nos reímos mucho, le aseguro. Pero eso sí: a veces, mientras corremos entre carcajadas, perseguidos por las víctimas de nuestras ingeniosas bromas, necesitamos ver un gesto sombrío y fraternal en el amigo que marcha a nuestro lado. Es el gesto noble que lo salva a uno para siempre. Es el gesto que significa "atención, muchachos, que no me he olvidado de nada".

NOTA: Las instrucciones para abrir el paquete de jabón Sunlight fueron rechazadas.

Corbjin filma últimos anos de Ian Curtis

Fotógrafo oficial do U2 e de outras bandas, Anton Corbjin faz sua estréia na direção de cinema com Control, cinebiografia baseada na vida de Ian Curtis, líder do Joy Division, exibida em Cannes esse ano.

O filme é baseado no livro A Touching Distance, escrito pela viúva de Curtis, Debora Curtis (interpretada no filme por Samantha Morton, de Minority Report), e conta os últimos dias de vida do cantor, que se suicidou em 1980.

Curtis é representado por Sam Riley, que estreou nos cinemas em A Festa Nunca Termina, e por Alexandra Maria Lara (de A Queda - As Últimas Horas de Hitler) atua como a amante do músico. O trailler do filme já está na rede.





Fonte: Almanaque Virtual

Continuando nos 80's

Agente Provocateur

Ali embaixo eu citei a Agente Provocateur e achei que o assunto merecia mais atenção. É uma loja de lingeries lindíssimas que fica em Londres, e que tem desde peças clássicas às mais provocantes. O site tem fotos lindas, produzidérrimas (alô Ali!) e tem coleções especiais para noivas, mamães e até roupas de banho cheias de estilo.
Não consegui descobrir se eles vendem para todos os continentes, mas como o preço é em libras/euros, achei por bem deixar assim mesmo... ;)

segunda-feira, agosto 06, 2007

Sweet Sleeper ™ Bed

Há algum tempo tive a oportunidade de passar três ótimas noites em um hotel Sheraton, mais especificamente no Four Points Sheraton, em Curitiba (PR). Sem dúvida foi a melhor cama em que estive até hoje e recomendo com veemência e doces lembranças.

De acordo com eles mesmos: "A plush mattress, warm blanket, cozy duvet, crisp sheets. Plenty of hypoallergenic and feather/down pillows. When you fall asleep on our Sweet Sleeper Bed, it’s hard to separate your dreams from reality."

Hoje relembrei que essas delícias - cama, lençóis, edredons e travesseiros - estão à disposição dos hóspedes, para quem quiser adquirir esse delicioso souvenir para suas casas, na Sheraton Belong Stores.

Just the way you are

Música boa pra começar a semana.


Eu A DO RO a Maggie Gyllenhaal (por causa da A Secretária? por causa do irmão dela? por causa de Paris Je t'aime? por causa de Stranger Than Fiction? Confessions of a Dangerous Mind? porque ela daria uma Mary Jane com muito mais personalidade que a Kirsten Dunst? por tudo isso junto e porque ela é uma bonita diferente?).

Daí ela vai lá e canta Billy Joel, numa das letras mais doces da história. E aí eu vou passar o resto do dia ouvindo isso. Querendo isso. Cantando isso.

*atualização: e ainda por cima ela vai ser a nova garota Agente Provocateur =P

Japanese (big) stuff

Esse post vai especialmente aos queridos que acham que eu ficaria melhor com uma ajudinha do silicone. Nada contra, eu até gostaria de ser melhor favorecida nesses quesitos, porém, o certo é que eu me dou bem com meus parcos originais de fábrica... ;)

Mas, vejam bem e prestem atenção, prometo não censurar ninguém que me venha com uma novidade dessas de presente:


Diz ali na caixa que dois desses cookies (claro, made in Japan) por dia "garantem" uma gordura BEM localizada :D Essa eu pagava pra ver. David, manda uns?

sexta-feira, agosto 03, 2007

Trilha sonora diária

Assim como eu, muita gente que me rodeia tem uma ligação muito forte com a música, desde a primeira do dia, que gruda na cabeça e quase sempre é podreira, até aquelas que moram no coração e são cantadas alto e você sabe decor cada acorde.

O Update or Die - um dos meus sites favoritos atualmente - publicou um texto interessantíssimo sobre os tipos de música e os "locais" e as maneiras que elas são armazenadas no cérebro, com direito a exemplos que você pode ouvir durante a leitura. Vai ali e have fun. ;)

quinta-feira, agosto 02, 2007

Dia dos pais dos freaks

Você já parou pra pensar em que espécie de adultos se tornarão os filhos de Britney Spears, Michael Jackson, Tom Cruise e todas essas celebridades que se metem em situações estranhas - de rehabs a cientologia? Se nunca pensou nisso, dê uma olhada nesse vídeo e tenha uma idéia.

Adiantando a comemoração do Dia dos Pais (de 2032), dá até um alívio de saber que a família de cada um de nós, no fim das contas, pode ser BEM MENOS louca do que parece. É curtinho e vale a vista até o finalzinho ;)

quarta-feira, agosto 01, 2007

Where is my mind?



"Your brand isn’t what you say it is. It’s what Google says it is."
Chris Jordan autor do livro Long Tail (Cauda Longa).

Livre adaptação:
Your BRAIN isn’t what you say it is. It’s what Google says it is.