quarta-feira, março 21, 2007

Homeopatia

Davi e Golias, que injusto.
Atiro palavras pedrinhas gotas e me recebem como deusa, caçadora e caça.
Mandam-me de presente a mais fabulosa bandeja de prata em que devo me deitar para servi-los. Para ser servida. Tenho tudo antes mesmo de me dar. Já estou entregue sem escolha, as mãos atadas a seus cabelos.
Quando me arrastam sem resistência para a jaula, minhas pernas se entreabrem involuntariamente.
São eles que entram. Eu os contenho, os guardo dentro de mim.

Nenhum comentário: